Retrospectiva 2006

Alguns anos são marcados por eventos tão fortes e incomuns – como foi o caso do tsunami que matou mais de 250 mil pessoas na virada de 2004 para 2005 – que não é difícil apontar a notícia que, do ponto de vista global, definiu aquele período de tempo.
Felizmente, 2006 não foi marcado por desastres naturais dessas proporções – apesar de ter tido tragédias, como o terremoto que matou mais de 6 mil na Indonésia, em maio.

Possivelmente, 2006 será mais lembrado como um ano de importantes decisões políticas – o que inclui eleições no Brasil, nos Estados Unidos, na Venezuela e para a Autoridade Palestina – e por ter sido um ano no qual se viu como a falta de compreensão das diferenças e a intolerância podem ampliar a distância entre culturas e crenças distintas.

A revolta com as charges de Maomé, em fevereiro, ou com o discurso do papa Bento 16 também sobre Maomé, em setembro, foi um exemplo desse perigo.

Mas talvez em nenhum outro lugar do mundo isso tenha ficado mais evidente do que no Oriente Médio, onde ocorreu uma guerra entre Israel e o Hezbollah, em julho, e onde crises de mais longo prazo (o conflito palestino, a guerra no Iraque e a tensão entre países ocidentais e o Irã) se agravaram.

O ano também ficará na memória pela Copa do Mundo, a vitória italiana e a derrota do quadrado mágico para a magia de Zidane.

E Pela popularização do YouTube, um site que está mudando a forma como as pessoas assistem vídeos na internet.

Para o Brasil, além de escândalos e disputas políticas, 2006 será um ano para ser lembrado como o primeiro em que um brasileiro foi para o espaço.

Janeiro

Morales toma posse

Após conquistar uma vitória histórica na Bolívia no fim do ano anterior, o líder indígena Evo Morales assumiu a Presidência em janeiro. Logo após sua posse, as relações entre Bolívia e Brasil pioraram, por causa da polêmica sobre a nacionalização do gás e do petróleo bolivianos. A decisão afetou diretamente o Brasil, já que a Petrobras é o maior investidor estrangeiro do setor na Bolívia.

Hamas chega ao poder

O grupo militante islâmico Hamas conquistou uma surpreendente vitória nas eleições parlamentares palestinas, acabando com mais de quatro décadas de poder do Fatah. A vitória, no entanto, resultou em um embargo econômico e, meses depois, no agravamento da instabilidade na região, com a ameaça de um confronto armado entre palestinos.

Medo da gripe

Após matar mais de 70 pessoas na Ásia desde 2003, o vírus H5N1 chegou às portas da Europa, ao fazer suas primeiras vítimas na Turquia. A propagação da gripe aviária fez crescer o temor de que o H5N1 sofresse uma mutação para uma forma que pudesse ser transmitida entre humanos. Os temores não se confirmaram.

Fevereiro

Charges da discórdia

O jornal de maior circulação da Dinamarca provocou protestos violentos nos países muçulmanos ao publicar caricaturas de Maomé como um terrorista islâmico. Vários jornais europeus também republicaram os desenhos. A reação foi violenta. Dezenas de milhares de pessoas participaram de manifestações ao redor do mundo e embaixadas de países que publicaram as charges sofreram ataques.

Atentado em Samarra

Um atentado contra um dos templos mais sagrados dos muçulmanos xiitas no mundo, o santuário de al-Askari, na cidade iraquiana de Samarra, aumentou a violência sectária entre sunitas e xiitas no Iraque. Ao longo do ano, as disputas entre os dois principais grupo do país provocaram milhares de mortes e aprofundaram o caos.

O Haiti é aqui

Depois de ter eleições gerais adiadas quatro vezes, o Haiti foi às urnas para escolher seu novo presidente em fevereiro. O processo de votação ocorreu com tranquilidade. Porém, o atraso na divulgação do resultado gerou protestos e violência. Após dez dias, o candidato favorito, René Préval, foi declarado vitorioso.

Março

Caso encerrado?

O ex-presidente da Iugoslávia Slobodan Milosevic foi encontrado morto em sua cela no centro de detenção do tribunal de Haia, na Holanda. Milosevic, detido desde 2001, estava sendo julgado pelo Tribunal Criminal Internacional por genocídio e crimes de guerra nos conflitos na Bósnia, Croácia e Kosovo. Inicialmente, falou-se na possibilidade de suicídio e envenenamento, mas Milosevic morreu de ataque cardíaco.

Brasil foi para o espaço

Ao ser lançado do Cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão, o tenente-coronel Marcos Pontes disse que chegara “o dia da realização de um sonho”. Foi a primeira vez que um brasileiro foi para o espaço. Da estação especial, ele conversou com o presidente Lula, que o comparou com Ayrton Senna levando a bandeira brasileira ao lugar mais alto do pódio.

O novo líder de Israel

O então primeiro-ministro interino de Israel, Ehud Olmert, venceu as eleições gerais israelenses. O pleito foi considerado um plebiscito sobre o futuro dos territórios ocupados da Cisjordânia. Durante a campanha, Olmert prometeu estabelecer unilateralmente fronteiras permanentes para Israel em quatro anos.

Abril

Declaração nuclear

O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, anunciou que o país entrou para o grupo dos detentores de tecnologia nuclear, ao enriquecer urânio pela primeira vez. A declaração provocou alvoroço no Ocidente. Os Estados Unidos acreditam que o programa nuclear do Irã pode ter fins militares. O Irã nega e diz ter o direito de produzir energia nuclear para fins pacíficos.

Após Berlusconi, Prodi

A vitória da coalizão de centro-esquerda, liderada por Romano Prodi, nas eleições parlamentares italianas encerrou um dos governos mais duradouros da Itália, do magnata Sílvio Berlusconi. Após mais de três semanas de relutância em admitir sua derrota, Berlusconi anunciou que renunciaria ao cargo.

Primeiro emprego

O governo francês revogou a lei do primeiro emprego. A decisão foi tomada após milhares de jovens realizarem protestos contra a legislação. O chamado Contrato do Primeiro Emprego era voltado a jovens de até 26 anos e previa um período de experiência de dois anos no qual eles poderiam ser demitidos sem explicações ou aviso prévio.

Maio

Terror no Timor

O Timor Leste mergulhou em uma nova onda de violência em maio desencadeada pela demissão de cerca de 600 soldados do Exército. Pelo menos 21 pessoas morreram em choques entre policiais e militares – os mais graves desde a independência, em 1999. A violência acabou causando a renúncia do primeiro-ministro Mari Alkatiri, que foi substituído pelo prêmio Nobel da Paz José Ramos Horta.

Terremoto mata 6 mil

Um terremoto de 6,3 graus na escala Richter provocou a morte de mais de 6 mil pessoas na ilha de Java na Indonésia. Milhares de pessoas ficaram feridas e 200 mil desabrigadas. Pouco mais de um mês após a tragédia, a Ilha de Java foi atingida por um tsunami, que matou cerca de 40 pessoas.

O sonho acabou

O ex-beatle Paul McCartney e Heather Mills anunciaram que iriam se separar após quatro anos de casamento. Em um comunicado, o casal disse que estava difícil manter uma relação com a “constante intrusão” da mídia. Desde então, a imprensa chegou a noticiar que o músico estava sendo acusado de ter batido em Mills, o que foi negado por ele.

Junho

O fim de Al-Zarqawi

O governo iraquiano anunciou a morte de Abu Musab al-Zarqawi, considerado o líder da Al-Qaeda no Iraque, em um ataque em Bagdá. A morte de Zarqawi foi considerada uma vitória para o governo iraquiano, mas não teve o efeito esperado de reduzir a violência no país, especialmente por causa do aumento do confronto entre os diferentes grupos que estão disputando posições de poder no Iraque.

Quadrado sem magia

O torneio foi considerado um sucesso de organização, mas os grandes astros do futebol decepcionaram milhões de pessoas que acompanharam a competição na Alemanha ou pela televisão. Na final da Copa, uma atitude inesperada marcou o fim da carreira de um dos melhores jogadores da história do futebol: Zinedine Zidane deu uma cabeçada no zagueiro italiano Marco Materazzi e acabou sendo expulso do jogo. O Brasil não jogou o futebol esperado, o quadrado mágico não funcionou e a Seleção foi desclassificada pela França nas quartas-de-final por 1 a 0.

O soldado

O soldado israelense Gilad Shalit, de 19 anos, foi seqüestrado por militantes palestinos perto da Faixa de Gaza. A Brigada dos Mártires de Qassam – braço armado do Hamas – participou da ação e exigiu a libertação de mulheres e crianças em troca do soldado. Israel não cedeu e voltou a Gaza.

Julho

Chuva de bombas

Integrantes do grupo xiita libanês Hezbollah cruzaram a fronteira do Líbano com Israel e realizaram um ataque em que oito soldados israelenses foram mortos e dois capturados. A ação foi considerada um ato de guerra pelo governo de Israel, que ordenou uma ofensiva para resgatar os dois soldados. Foram 34 dias de confrontos, que mataram pelo menos 1,1 mil libaneses – sendo a maioria civis – e 150 israelenses.

Sem saída

As negociações da Rodada Doha, que buscavam um novo acordo para a liberalização do comércio internacional, foram suspensas, depois do fracasso das negociações sobre as propostas de redução do protecionismo agrícola. Divergências entre os negociadores-chave – União Européia, Estados Unidos e países em desenvolvimento – têm travado a Rodada Doha, que deveria ter sido concluída no fim de 2004.

Sem culpados

Quase um ano depois da morte do brasileiro Jean Charles de Menezes em um metrô em Londres, a Justiça britânica determinou que nenhum dos 15 policiais envolvidos na ação seriam indiciados individualmente, alegando que não havia provas suficientes. A decisão provocou revolta entre os primos de Jean Charles que vivem na capital britânica.

Agosto

Passando o comando

O presidente cubano, Fidel Castro, passou o controle do governo temporariamente ao irmão, Raúl, para passar por uma cirurgia intestinal. Os detalhes dos problemas de saúde de Fidel foram mantidos em segredo, para, segundo o governo, “evitar que inimigos de Cuba se aproveitem deles”. A última vez em que o líder apareceu na televisão cubana ele estava visivelmente frágil.

Oito anos no porão

A jovem Natascha Kampusch conseguiu fugir do cativeiro onde era mantida havia oito anos. A austríaca foi seqüestrada por Wolfgang Priklopil no caminho da escola quando tinha dez anos. Após a fuga, ele se suicidou. Em uma entrevista à TV, Natascha manifestou sentimento de culpa e raiva ao falar sobre Priklopil e o período em que ele a manteve em cativeiro.

Poucos direitos, muitos deveres

Em Agosto, a BBC Brasil lançou a série Trabalhadores Domésticos, mostrando a realidade e os problemas que milhares de trabalhadores enfrentam no mundo e no Brasil. A série também foi produzida para rádio e TV e ajudou a ampliar o debate sobre os direitos desses profissionais dentro do país.

Setembro

Novela mexicana

Após uma longa batalha judicial, envolvendo recontagens parciais de votos e acusações de fraudes por parte do oponente Lopez Obrador, o tribunal eleitoral do México reconheceu a vitória do candidato governista Felipe Calderón nas eleições presidenciais realizadas em julho. Em seu primeiro pronunciamento, Calderón fez um apelo por unidade nacional.

Discurso polêmico

Durante um discurso o papa Bento 16 citou um imperador cristão ortodoxo do século 14 que afirmava que o profeta Maomé só havia trazido “coisas más e desumanas”. A citação causou polêmica entre comunidades muçulmanas. Em um comunicado, o Vaticano lamentou que as palavras tivessem soado ofensivas. Uma freira foi morta na Somália em aparente retaliação.

O continente cresce

A Comissão Européia aprovou a entrada da Romênia e da Bulgária na UE a partir de 1º de janeiro de 2007. A decisão, no entanto, foi tomada sob condições rígidas. Os dois governos deverão mostrar avanços no combate ao crime organizado e à corrupção para poder se juntar ao vizinhos.

Outubro

Lula até 2010

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi reeleito, no segundo turno, para mais quatro anos de mandato. O petista conquistou 60,83% dos votos válidos, seguido pelo candidato do PSDB, Geraldo Alckmin, com 39,17%. O tucano obteve menos votos no segundo turno do que no primeiro. Em seu primeiro pronunciamento após a divulgação dos resultados, Lula disse que “os pobres terão preferência” no seu segundo mandato.

Foco na novidade

A maior empresa de busca na Internet, o Google, anunciou a compra do site de vídeos YouTube por US$ 1,65 bilhão (o equivalente a cerca de R$ 3,5 bilhões) colocando um fim às especulações sobre o acordo. O YouTube foi uma das grandes revelações recentes na internet e mudou a forma como as pessoas assistem vídeo na internet.

A bomba norte-coreana

A Coréia do Norte realiza pela primeira vez um teste nuclear, desafiando a comunidade internacional e causando alarme na região. O governo norte-coreano diz que o teste subterrâneo foi um sucesso e que não houve qualquer vazamento de radiação. O Conselho de Segurança da ONU aprova uma resolução impondo sanções econômicas contra o país.

Novembro

O destino de Saddam…e do Iraque

O ex-presidente iraquiano Saddam Hussein foi condenado à morte por enforcamento pelo assassinato de 148 moradores do vilarejo de Dujail, de maioria xiita. No mesmo mês, a ONU divulgou um levantamento apontando que o número de civis mortos no Iraque bateu recorde em outubro: 3.709 mortes. Outro relatório também foi foco das atenções: o Grupo de Estudos sobre o Iraque entregou um documento de 160 páginas ao presidente George W. Bush no qual diz que é hora de mudar a estratégia.

Mudança de forças

O Partido Democrata conquistou o controle da Câmara dos Representantes e do Senado nas eleições realizadas nos Estados Unidos. A eleição foi vista, ao menos em parte, como um voto de desaprovação à política americana no Iraque. O novo cenário político traz riscos em termos de governabilidade nos dois anos finais do republicano George W. Bush à frente da Presidência do país.

Espionagem, mentiras e polônio

O ex-espião russo Alexander Litvinenko morre em um hospital de Londres três semanas depois de ter sido supostamente envenenado. Amigos de Litvinenko afirmam que ele foi envenenado por causa de suas críticas ao presidente russo, Vladimir Putin. O Kremlin e o Serviço de Inteligência Estrangeiro da Rússia negam qualquer envolvimento.

Dezembro

Annan se despede

O secretário-geral das Nações Unidas, Kofi Annan, deve deixar o posto após dois mandatos de cinco anos. Ele será substituído pelo ministro do Exterior da Coréia do Sul, Ban Ki-moon. Aos 62 anos, ele é o primeiro asiático apontado para o cargo desde U Thant, da Birmânia, que ocupou a posição por uma década, de 1961 a 1971.

Chávez vence. De novo

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, foi eleito pela terceira vez para o cargo, com uma vantagem significativa sobre seu rival, Manuel Rosales. O novo mandato de Chávez, que está no poder desde 1998, começa no início de 2007 e termina em 2013. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva elogiou a vitória, mas os sócios do Brasil no Mercosul também expressaram preocupação.

O fim de uma era

O ex-líder do regime militar no Chile, Augusto Pinochet, morre aos 91 anos de idade, na capital chilena, Santiago. Pinochet estava internado desde o início do mês, quando havia sofrido um ataque cardíaco. Milhares de chilenos saem às ruas para comemorar ou para lamentar a morte.

in BBC

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s